Normal view MARC view ISBD view

Prevalência e incidência das lesões em surfistas de elite portugueses

by Santos, Pedro Castro Coelho Tavares dos
Published by : [s.n.] ([Cruz Quebrada]) Physical details: IX, 76 p. 30 cm + CD-ROM Subject(s): Atleta | Factores de risco | Fisioterapia | Lesão | Mestrado | Prevenção e controlo | Surf Year: 2014
    average rating: 0.0 (0 votes)
Item type Location Call number Copy Status Date due
Tese Tese Faculdade de Motricidade Humana
FMH-BIBLIOTECA
Tese M 2951 (Browse shelf) Available
CD-ROM CD-ROM Faculdade de Motricidade Humana
FMH-Biblioteca Deposito
Tese M 2951 / CD-ROM (Browse shelf) Apenas consulta local
Tese Tese Reitoria - SDP
SDP-Teses
TM043 FMH CF3 2014 (Browse shelf) 3 Sem empréstimo
CD-ROM CD-ROM Reitoria - SDP
SDP-Teses
TM043 FMH CF3/A 2014 (Browse shelf) 4 Sem empréstimo

Moreira, Miguel António de Almeida Garcia - Orientador. Mestrado em Ciências da Fisioterapia. Universidade de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana. 2014

Introdução: Na última década a prática do surf sofreu um crescimento exponencial, quer em termos competitivos quer recreativos. Também as lesões específicas da sua prática se tornaram mais frequentes, sendo pertinente caracterizar e analisar a prevalência e incidência das lesões, e explorar possíveis fatores de risco associados que permitam desenhar programas de prevenção e/ou gestão do risco de lesão.
Objetivos: Determinar e comparar a incidência e prevalência de lesões, ao longo de oito meses, em surfistas de elite nacional, Competidores e Free-surfers, identificando fatores de risco associados ao padrão de ocorrência das lesões.
Metodologia: Estudo de Coorte, transversal, retrospetivo envolvendo uma amostra de 60 surfistas nacionais (idade=27±8,4 anos). Foi aplicado um questionário, preenchido presencialmente ou por e-mail, referente ao período em estudo.
Resultados e discussão: Os valores de prevalência de lesões foram de 56,7%, com um rácio de 0,83 lesões por surfista. A incidência de lesão por 1000 dias de surf foi de 6,2 lesões nos Free-surfers e de 3,8 lesões nos Competidores. Para a população total, a um tempo de prática semanal desportiva mais elevado (r(60)=0,283; p=0,029) ou a menor tempo de aquecimento (Vcram (50)=0,430; p=0,047), correspondeu um maior número de lesões. Nos Free-surfers, um aumento do tempo semanal total de práticas desportivas aumentou a severidade das lesões (r(26)=0,611; p=0,001). O Fisioterapeuta foi o profissional de saúde mais procurado para diagnóstico e tratamento das lesões.
Conclusões: Os resultados obtidos levam-nos a afirmar que não existiu diferença significativa quanto à incidência, prevalência, severidade e ocorrência de lesões entre os Competidores e Free-surfers nacionais, participantes no estudo.

Click on an image to view it in the image viewer


© 2012, Universidade de Lisboa
Todos os direitos reservados - All rights reserved
Languages: