Normal view MARC view ISBD view

Lesões do sistema músculo-esquelético em futebolistas jovens

by Lucas, Alexandre Miguel Mil-Homens
Published by : [s.n.] ([Cruz Quebrada]) Physical details: [220] p. 30 cm + CD-ROM Subject(s): Atleta | Epidemiologia | Factores de risco | Futebol | Lesão músculo-esquelética | Mestrado | Prevenção e controlo Year: 2014
Online resources:
    average rating: 0.0 (0 votes)
Item type Location Call number Copy Status Date due
Tese Tese Faculdade de Motricidade Humana
FMH-BIBLIOTECA
Tese M 2950 (Browse shelf) Available
CD-ROM CD-ROM Faculdade de Motricidade Humana
FMH-Biblioteca Deposito
Tese M 2950 / CD-ROM (Browse shelf) Apenas consulta local
Tese Tese Reitoria - SDP
SDP-Teses
TM043 FMH CF2 2014 (Browse shelf) 3 Sem empréstimo
CD-ROM CD-ROM Reitoria - SDP
SDP-Teses
RE 2959 (Browse shelf) 4 Sem empréstimo

Oliveira, Raul Alexandre Nunes da Silva - Orientador. Mestrado em Ciências da Fisioterapia. Universidade de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana. 2014

Objectivo: Analisar e caracterizar as lesões desportivas em futebolistas jovens e identificar factores de risco associados.
Desenho de estudo: Estudo epidemiológico de design retrospectivo.
Métodos: Amostra de 83 jogadores entre os 15 e os 19 anos, dos escalões de sub-17 e sub-19 de duas equipas nacionais. A metodologia e definições das variáveis estão de acordo com o
estabelecido pela F-MARC (FIFA).
Resultados: Registou-se um total de 73 lesões em 45 atletas. A incidência global foi de 4,32 lesões por 1000 horas de exposição; 22,64 lesões por 1000 horas de exposição ao jogo e 1,44 lesões por 1000 horas de exposição ao treino. Nos sub-17 registaram-se 4,68 lesões por 1000 horas de exposição e nos sub-19, 4,08 lesões por 1000 horas de exposição. 67% das lesões localizaram-se no membro inferior, foram maioritariamente musculares e capsulo-ligamentares, 82,2% foram por traumatismo e 69,9% após contacto, 60,3% foram uma 1ª ocorrência da lesão, 8,2% ocorreram durante a pré-época e 38,4% foram de severidade minor. O risco de um atleta sofrer lesão foi três vezes superior em jogo que em treino.
Conclusão: O risco de lesões nos atletas jovens foi elevado, com uma prevalência específica de 88% no geral. Cerca de 54% dos jogadores referiram pelo menos uma lesão durante a época, registando-se 0,88 lesões por jogador.

Click on an image to view it in the image viewer


© 2012, Universidade de Lisboa
Todos os direitos reservados - All rights reserved
Languages: