Normal view MARC view ISBD view

Comportamento do bebé perante precipício real e aquático

by Morais, Carolina Burnay Rodrigues de
Published by : [s.n.] ([Cruz Quebrada]) Physical details: [70] p. 30 cm + CD-ROM Subject(s): Affordances | Desenvolvimento da criança | Infância | Meio aquático | Mestrado | Movimento | Percepção | Quedas --prevenção e controlo Year: 2013
    average rating: 0.0 (0 votes)
Item type Location Call number Copy Status Date due
Tese Tese Faculdade de Motricidade Humana
FMH-BIBLIOTECA
Tese M 2924 (Browse shelf) Available
CD-ROM CD-ROM Faculdade de Motricidade Humana
FMH-Biblioteca Deposito
Tese M 2924 / CD-ROM (Browse shelf) Sem empréstimo
Tese Tese Reitoria - SDP
SDP-Teses
TM043 FMH DCVDM4 2013 (Browse shelf) 1 Sem empréstimo
CD-ROM CD-ROM Reitoria - SDP
SDP-Teses
TM043 FMH DCVDM4/A 2013 (Browse shelf) 1 Sem empréstimo

Matos, Rita Cordovil de - Orientadora. Mestrado em Desenvolvimento da Criança, na variante de Desenvolvimento Motor. Universidade de Lisboa. Faculdade de Motricidade Humana. 2013

Estudos com recurso a precipícios visuais e reais indicam que algum tempo depois de começarem a gatinhar os bebés apresentam uma tendência para evitar a queda de alturas perigosas e que os bebés com menos experiência a gatinhar avançam com maior frequência. A maturação de capacidades físicas permite ao bebé o desenvolvimento da locomoção autónoma e a exploração do seu envolvimento, estimulando a relação entre a perceção das próprias capacidades e das possibilidades de ação sobre o envolvimento. A aproximação a superfícies aquáticas foi também previamente abordada mas em situação de piscina e com adultos na água. Numa perspetiva de segurança infantil, importa saber qual o comportamento de bebés perante o precipício real e aquático e que variáveis influenciam esse comportamento. No presente estudo, 31 bebés (M=0,96 anos; DP=0,13), com tempos de experiência a gatinhar entre 3 dias e 5,76 meses (M=1,94 meses; DP=6,7) foram testados perante um precipício real (80cm da altura) e um precipício aquático (cuba de água), sendo a segurança do bebé garantida por equipamentos próprios de escalada. Cinco dos bebés avançaram apenas na situação de precipício aquático, 4 no precipício real e 6 nas duas situações. Os bebés com mais experiência a gatinhar e mais experiência locomotora (rastejar e gatinhar) avançaram significativamente menos que os bebés com menos experiência, tanto no precipício real como no precipício aquático.

Click on an image to view it in the image viewer


© 2012, Universidade de Lisboa
Todos os direitos reservados - All rights reserved
Languages: