1. Fernando Bragança Gil :   Publication: Lisboa : Museu de Ciência da Universiade de Lisboa, 2010 . 269 p. Date:2010 Availability: Copies available: IST - Biblioteca Central (1),

Actions:
2. Património da Universidade de Lisboa   Publication: Lisboa Tinta-da-china 2011 . 287 p. il. Date:2011 Availability: Copies available: Faculdade de Arquitectura (1),

Actions:
3. Saberes, natureza e poder by Felismino, David Publication: Lisboa Museus da Universidade de Lisboa 2014 . 79 p. , Livro publicado no âmbito do projeto de investigação "On the instruments'Trail: exploring royal cabinets of physics in Portugal" (PTDC/HIS-HCT098970/2008), coordenado por Marta C. Lourenço. Este livro não foi escrito ao abrigo do acordo ortográfico. Fotografias: Sandra Pascoal Design: Maria Helena Veloso Design de capa: Cláudia Baeta 26 cm Date:2014 Availability: Copies available: Reitoria - SDP (1),

Actions:
4. A Universidade de Lisboa   Publication: Lisboa Imprensa da Universidade de Lisboa 2016 . 295 p. , Prefácio do Prof. António Cruz Serra, Reitor da Universidade de Lisboa: A Universidade de Lisboa é a maior e mais recente universidade portuguesa, criada por fusão da Universidade Técnica de Lisboa e da antiga Universidade de Lisboa. Sendo novíssima, é uma universidade presente e, sobretudo,do futuro, orientada para a inovação em múltiplas áreas das ciências, tecnologias, artes e humanidades, e virada para a cidade de Lisboa e para o mundo. Como todas as grandes universidades de tradição europeia, a Universidade de Lisboa alicerça a sua missão numa longa continuidade histórica, que herda diretamente das suas antecessoras, criadas no início do século XX e, por sua vez, herdeiras de instituições setecentistas e oitocentistas, numa linhagem que se prolonga no tempo até 1290, quando a primeira universidade portuguesa foi criada em Lisboa por D. Dinis. Esta continuidade histórica revê-se num notável e vastíssima património cultural de natureza científica, histórica, arquitetónica e artística. O património cultural da Universidade de Lisboa cobre todas as áreas do saber, das ciências e engenharias às humanidades e às artes. Encontra-se em toda a cidade, da Ajuda à Alameda, da Cidade Universitária ao Rato, Príncipe Real e Chiado, do Jamor a Sacavém e da Lapa a Belém, e está profundamente embebido na vida científica, tecnológica, económica e cultural da capital. Estende-se, de resto, a três concelhos limítrofes de Lisboa: Cascais, Oeiras e Loures. A Universidade de Lisboa é traço estruturante da cidade que a acolhe, de quem recebe alimento e vida e a quem devolve cultura, conhecimento e ciência. É um património acumulado ao longo de décadas - por vezes séculos - de investigação, ensino e inovação. São edifícios, laboratórios, anfiteatros, observatórios astronómicos, jardins botânicos, livros, manuscritos, desenhos, mapas, instrumentos científicos, médicos e agrícolas, modelos e protótipos, herbários, pinturas, esculturas, fósseis, minerais e rochas, espécimes da biodiversidade portuguesa e mundial, fotografias e mobiliário, bancos de dados e repositórios digitais, entre tantos outros. Está organizado em coleções, museus, arquivos e bibliotecas. Parte desde património continua a ser usado na investigação, no ensino e em múltiplas atividades de divulgação da ciência, arte e cultura da Universidade. E pode sê-lo ainda muito mais. Com efeito, o património da Universidade de Lisboa é continuamente enriquecido em função dos novos desafios científicos e como consequência do papel de liderança cultural e social que a Universidade de Lisboa pretende assumir no contexto português. Destacamos dois exemplos muito visíveis e significativos, ocorridos em 2015, já no âmbito da nova Universidade. Por um lado a integração do Instituto de Investigação Científica e Tropical, cujas importantes coleções materializam, por exemplo, as missões científicas e cartográficas na África e Ásia portuguesas dos séculos XIX e XX e, por outro, a integração daquele que é um dos mais icónicos edifícios da cidade e, certamente, a mais relevante obra do arquiteto Álvaro Siza Veiira em Lisboa, o Pavilhão de Portugal. Ambos ampliam de forma muito considerável a importância do património da Universidade de Lisboa a nível nacional e internacional. Uma herança tão importante e preciosa constitui acima de tudo um compromisso com as gerações anteriores e com as vindouras. Mobiliza necessariamente o nosso olhar para um passado ilustre mas, sobretudo, convoca-nos a compreender o seu significado à luz da Universidade e da sociedade contemporânea. Obriga-nos a olhar simultaneamente para dentro e para fora, para o passado e para o futuro, para o tangível e para o intangível. Este livro constitui um estado de arte do nosso património cultural de natureza científica, histórica, artística e arquitetónica. Materializa um levantamento sistemático que decorreu em 2015 e envolveu toda a Universidade. O livro tem dois objetivos principais. Por um lado, permite à Universidade conhecer o significado desta herança, para que melhor possa afirmar a sua identidade e honrar o compromisso da sua valorização, usufruto e preservação, do setor cultural e da sociedade civil. Por outro lado, divulga e valoriza um património único, ainda escassamente conhecido na cidade, no país e, inclusivamente, dentro da própria Universidade. Lisboa sempre foi uma cidade aberta aos trânsitos de saberes, técnicas, pessoas e objetos, provenientes de todos os lugares e povos do mundo, tendo contribuído de forma muito considerável para a globalização da ciência e da técnica, dos gostos, da estética e da cultura e dessa extraordinária e milenar aventura que é o conhecimento sobre o homem, a natureza e o universo. Os testemunhos dessa aventura do conhecimento, que uma Lisboa aberta ao mundo tão bem simboliza, estão na Universidade, o lugar por excelência do saber. São objetos, pessoas e ideias unidos no passado, presente e futuro pela curiosidade, criatividade, pelo espírito crítico e livre, e pela imaginação. Esse é o significado mais profundo do património que se apresenta neste livro e que, em boa verdade, não pertence à Universidade de Lisboa, mas sim a todos os portugueses. E por eles merece ser amplamente conhecido. 34 p. Date:2016 Availability: No items available:

Actions:

© 2012, Universidade de Lisboa
Todos os direitos reservados - All rights reserved
Languages: